Entrevista a Ana Mª Magalhães e Isabel Alçada

Olá...

Obrigada a todos os que comentaram!

Gostava que o Luís que comentou o blog e disse que era o Pedro no filme "Uma Aventura na Casa Assombrada" adicionasse o e-mail do blog: uma_aventura-fas@hotmail.com. Hoje trago-vos uma entrevista às escritoras dos livros "Uma Aventura", Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada.

 

1. Quando perceberam que gostavam de escrever?
Ana Maria Magalhães – Percebi que gostava de inventar histórias mesmo antes de saber escrever.
Isabel Alçada – E eu também.

 

2. Quando escreveram a primeira história?
A. M. M. – Escrevi a primeira história com 9 anos para entreter um dos meus irmãos mais novos, que estava doente e não queria comer a papa.
I. A. - Escrevi a primeira história quando andava no terceiro ano, e fiquei radiante porque a professora leu alto para todos os alunos ouvirem.

 

3. Ser escritora era um sonho de criança?
A. M. M. – Ser escritora era um dos meus sonhos de criança.
I. A. – Eu sempre que lia um livro e gostava dizia para mim própria que havia de ser escritora.

 

4. Como se conheceram?
A. M. M. e I. A. – Conhecemo-nos à porta da Escola Fernando Pessoa, em Lisboa, para onde íamos ambas trabalhar pela primeira vez como professoras de Português e História. Foi em Setembro de 1976.
Antes de nos apresentarmos na direcção, fomos tomar um café juntas e ficámos amigas.

 

5. Por que resolveram escrever juntas?
Ambas – Antes de escrevermos juntas preparámos muitas aulas em conjunto e fichas de trabalho, guias para visitas de estudo, etc. Um dia lembrámo-nos de fazer pequenas histórias para uma turma que não gostava de ler. Como resultou bem, mais tarde abalançámo-nos a escrever um livro na intenção de publicar.

 

6. Qual o primeiro livro que escreveram?
Ambas – O primeiro livro que escrevemos foi Uma Aventura na Cidade. Começámos em Janeiro de 1982 e foi publicado em Novembro do mesmo ano.

 

7. Por que é que resolveram escrever aventuras?
Ambas – Ambas gostámos sempre muito de histórias com acção e mistério.
Além disso, sabemos que a maior parte dos leitores também gosta e que o género agrada igualmente a rapazes e raparigas. Como queríamos cativar para a leitura, pareceu-nos bem começar por livros de aventuras.

 

8. Escrevem só aventuras?
Ambas – Em 1985 começámos a colecção Viagens no Tempo e a pouco e pouco fomos escrevendo outras, como por exemplo Histórias e Lendas da Europa, os livros da colecção História de Portugal, com o apoio de historiadores famosos. Mais tarde diários para adolescentes, o Diário Secreto de Camila e o Diário Cruzado de João e Joana. Houve também um livro sobre Piratas e Corsários e sobre o Mosteiro dos Jerónimos. Escrevemos também três livros para os leitores mais pequenos, que estão a aprender a ler. Esta colecção já tem os seguintes títulos: O Crocodilo Nini, A Gata Gatilde e O Leão e o Canguru.

 

9. De qual das colecções gostam mais?
Ambas – Nós gostamos muito de todas as colecções e de todos os livros que escrevemos. Os leitores é que têm revelado acentuadamente preferência pela colecção Uma Aventura.

 

10. Têm um livro preferido?
A. M. M. – Eu tenho uma pequena preferência pelo livro Uma Aventura nas Férias do Natal, porque de certo modo é autobiográfico.
A história passa-se na quinta dos meus avós em Trás-os-Montes; tudo o que acontece ao grupo aconteceu comigo, excepto encontrar bandidos.
I. A. – O meu preferido é Uma Aventura no Bosque, porque se passa em Sintra, terra de férias da minha família. E porque quando tinha doze anos assisti a um pavoroso incêndio que quase destruiu a serra e que me impressionou muito.

 

11. Por que é que escolheram a editora Caminho?
Ambas – Na verdade foi a Editora Caminho que nos escolheu a nós. Porque antes de irmos à Caminho mostrar Uma Aventura na Cidade fomos a três outras editoras que não quiseram publicar. Só a Caminho apostou em nós.

 

12. Têm filhos?
A. M. M. – Eu tenho um rapaz chamado Tiago, uma rapariga que se chama Mariana e uma neta chamada Matilde.
I. A. – Eu tenho uma filha que se chama Vera e dois netos, o Bernardo e o Gonçalo. Os nossos netos adoram O Crocodilo Nini, A Gata Gatilde e O Leão e o Canguru. Mas o Bernardo, que é o mais velho, já começou a ler «aventuras».

 

13. Os vossos filhos costumam ler os vossos livros?
Ambas – Os nossos filhos liam sempre os nossos livros quando eram mais novos. Agora já são adultos mas gostam de acompanhar o que as mães fazem e lêem para dar uma opinião.

 

14. Têm outra profissão?
A. M. M. – Eu sou professora de Português e História do 2.º ciclo.
I. A. – Eu fiz outro curso em 1984 e agora sou professora na Escola Superior de Educação de Lisboa, onde estudam futuros professores.

 

15. Conseguem conjugar a vida profissional com a vida familiar?
Ambas – Fazemos questão de pôr a família em primeiro lugar, apesar de trabalharmos muito. Isso obriga a uma boa organização de tempo.
Geralmente de manhã damos aulas, à tarde escrevemos e à noite, fins-de-semana e feriados dedicamo-nos à família.

 

16. Quanto tempo demora a escrever um livro?
Ambas – Um livro demora muito tempo a escrever. Mas varia. Entre as histórias mais rápidas está, por exemplo, Uma Aventura na Escola, que não exigiu pesquisa e ficou pronto em dois meses. O mais demorado de todos foi o Brasil! Brasil!, da colecção Viagens no Tempo, que incluiu uma viagem ao Brasil, muito tempo a estudar a História do Brasil e a ler livros e jornais brasileiros.

 

17. Quantas horas escrevem por dia?
Ambas – De uma maneira geral escrevemos quatro horas por dia. Quatro horas bem aproveitadas porque só conversamos um bocadinho e na pausa do lanche.

 

18. A que horas gostam mais de escrever?
Ambas – Ambas gostamos de trabalhar e escrever de dia. À noite é para conviver com a família e os amigos. Ambas gostamos de deitar cedo e levantar cedo.

 

19. As personagens da colecção Uma Aventura existem?
Ambas – As personagens de Uma Aventura foram seleccionadas entre os nossos alunos. Escolhemos as gémeas porque são vivas, despachadas, cheias de iniciativa, e além disso tinham a particularidade engraçada de serem iguaizinhas. O Pedro foi escolhido por ser um dos melhores alunos da escola, muito inteligente, muito reflectido e muito bom colega. O Chico era um aluno fraco a tudo e o melhor da escola a Educação Física. Tinha muita coragem, era forte, destemido, o ideal para um grupo aventureiro. Quanto ao João, não foi nosso aluno mas andava na escola e tinha um cão de raça pastor-alemão que um dia entrou na cantina e deixou toda a gente em pânico, incluindo nós as duas.

 

20. E as personagens da colecção Viagens no Tempo?
Ambas – As personagens da colecção Viagens no Tempo não existem mas são inspiradas em pessoas que conhecemos. A Ana em figuras de raparigas ajuizadas, mas corajosas, o João em rapazes estarolados sempre prontos para experiências diferentes. O Orlando é uma composição feita a partir de dois cientistas, ambos alegres e amantes de desporto.

 

21. Vão sempre aos locais onde se passam as histórias?
Ambas – Vamos sempre aos sítios antes de escrever a história para conhecermos locais, pessoas, tradições, lendas, experimentar sabores, cheiros, ambientes. Já fizemos imensas viagens no país e no estrangeiro para preparar histórias. Fomos a Espanha, França, Escócia, Brasil, Cabo Verde, Macau, deserto do Sara, em Marrocos, Egipto, etc.

 

22. Tiveram que estudar muito para escrever os livros de colecção Viagens no Tempo?
Ambas – Tivemos estudar imenso para fazer os livros de colecção Viagens no Tempo. Mas estudámos com gosto porque ambas adoramos História. Lemos textos de historiadores actuais e documentos da época que escolhemos. Em certos casos ainda vamos mais longe. Para escrever, por exemplo, O Dia do Terramoto, lemos diários de pessoas que assistiram ao terramoto e sobreviveram. Para o livro Mataram o Rei também lemos diários e cartas de pessoas que viveram naquela altura, algumas das quais assistiram ao assassínio do rei D. Carlos. Até lemos a descrição desses momentos horrorosos feita pelo príncipe D. Manuel, que só escapou com vida porque se baixou para acudir ao irmão. Essas leituras dão-nos uma visão muito completa não só dos acontecimentos mas também dos sentimentos que desencadearam, e assim compreendemos melhor o que se passou e podemos escrever com maior segurança.

 

23. Como é que escrevem em conjunto?
Ambas – Escrever em conjunto não é fácil. Mas nós temos ideias convergentes e habituamo-nos a pô-las em comum.
Sentamo-nos à mesa, combinamos o que houver a combinar e depois vamos escrevendo a par.

24. Quem faz as ilustrações dos vossos livros?
Ambas – Para a colecção Uma Aventura, Viagens no Tempo e Asa Delta as ilustrações são feitas por um grande artista que vive em Braga e se chama Arlindo Fagundes. Para os outros livros as ilustrações têm sido feitas por grandes artistas: o Carlos Marques e o Nuno Feijão, que vivem em Lisboa. E ainda trabalhamos com outra equipa de dois ilustradores muito criativos, a Clara Vilar e o Pedro Gonçalves. Esses ilustraram as revistas Na Crista da Onda.

 

25. Os netos serviram de inspiração para os vossos livros?
Ambas – Os netos serviram de inspiração sobretudo para os livros que escrevemos a pensar nos leitores mais novos. Contámos várias histórias para ver quais é que eles preferiam e que tipo de mensagens captavam mais depressa e com mais entusiasmo. Assim surgiu por exemplo A Gata Gatilde cuja mensagem é muito simples e clara: quem faz birras e trata mal os companheiros fica sem amigos. O ilustrador Nuno Feijão também fez testes com os filhos para ver que tipo de desenho lhes agradava mais e assim surgiu uma gata Gatilde cor de rosa que todos adoraram por ser gira e original.

 

In http://www.uma-aventura.pt

 

Beijinhos e deixem a vossa opinião

 

publicado por UmAventura às 15:41 | comentar | favorito